ENSINO-APRENDIZAGEM DE LÍNGUAS COMO PROCESSO E A PRÁTICA PEDAGÓGICA

Tânia Gastão Saliés

Resumo


O presente ensaio argumenta em prol da visão processual da aprendizagem de línguas, defendendo ser esse um percurso dinâmico e imprevisível, com padrões sistemáticos que emergem do uso da língua em contextos situados. Isso traz desdobramentos para a ação pedagógica e consequentemente para a formação do professor de línguas. Focar partes específicas da língua no âmbito da gramática contraria a natureza dinâmica do sistema e a natureza processual da aprendizagem. A exposição à linguagem como ela é, integrada, situada, complexa, parece-nos oportunizar maior número de propiciamentos e consequentemente maior rapidez na evolução do sistema. É isso que temos visto nas trajetórias de aprendizagem de língua ao longo de nossa experiência em sala de aula e à frente do PRODOCENCIA e do LICOM. Atividades que provoquem interação entre professor, alunos e a vida fora da sala de aula, fazendo desse espaço um organismo vivo, oferecem tais oportunidades.

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2447-3618 [eletrônico]
Aproximando, uma publicação eletrônica da Sub-Reitoria de Graduação da UERJ, gerenciada pelo LaTIC - Laboratório de Tecnologias de Informação e Comunicação. UDT - Unidade de Desenvolvimento Tecnológico que pertence a COPEI - Coordenadoria de Avaliação, Projetos Especiais e Inovação.

Universidade do Estado do Rio de Janeiro / LaTIC - Laboratório de Tecnologias de Informação e Comunicação /Rua: São Francisco Xavier, 524, Andar Térreo - Bloco F - Sala T032 / Maracanã - Rio de Janeiro - RJ - Cep 20550-900